31.5.12

bloco do prazer

e se eu te disser que sonhei a noite inteira, que quase não acordei, que agora já nem sei, que apenas me pergunto se devo ir... mas ir aonde, não é? parece, meu bem, que quero o oito e o oitenta. oitenta carnavais, veja você, será que vou viver? oitenta sonhos desses não aguento.

mas quando eu te disser que o mundo é enorme, enorme, enorme, enorme e sempre nos cabe? vou fazer com que caiba sempre, mesmo se doer, mesmo se acabar. não ando bem das idéias, meu amor, preciso parar de sonhar.

um dia eu vou te dizer, e não sei se você ouve. um dia vou te beijar, e não sei o que vai dar - me preocupo, mas parece que espero. eu andei muito tempo por aí, perdido, alucinado, com músicas nos pés, e tudo o que eu queria era dizer.

as frases me foram presas no peito, querida. só vou te dizer que quero o oito e o oitenta, e não sei onde vou parar.

Um comentário:

Marcelle Silva disse...

E é no embalo desse teu texto, que eu vou tentar dormir, depois de um dia tão pesado e cheio de decepções e tristezas...lindos, lindos e suaves são os arranjos dessas tuas palavras.
Bj